As Melhores coisas de 2011


Fiquei um bom tempo pensando o que eu postaria primeiro na volta do blog – o post de segunda não conta. Pensei em já começar com um post mega gigante que venho preparando desde que voltei a jogar um certo jogo aí. Mas ainda não, esse tipo de post é para sexta-feira, que será meio que um dia especial aqui no blog. Quarta é dia de listas.

Listas “grandes” terão sempre 9 itens, listas normais 5. Tanto eu quanto você vamos nos acostumar a isso.

Então vamos lá, vamos a lista das melhores coisas de 2011

9 – O Mini Darth Vader

Temos que concordar que essa foi de longe um dos melhores comerciais do ano. Sucesso absurdo após ser exibido na final do SuperBowl XLV.

8/7- Guerra dos Tronos (a série de tv e os livros)

“Game of Thrones” Main Titles from Elastic on Vimeo.

A cada livro da série Crônicas de Gelo e Fogo que eu leio (acabei de terminar o terceiro) eu fico numa indecisão se devo torturar aquele velhinho safado até a morte, ou mandar fazer um altar de adoração a ele. George R. R. Martin é o meu Tolkien da vida adulta. Calma, não estou comparando os dois, se você me conhece nem que seja um pouco sabe que eu venero Tolkien. Mas hoje eu vejo as obras dele como obras para jovens, tirando O Hobbit, que é para criança mesmo.

O que Tolkien fez por mim na minha adolescência, Martin vem fazendo para minha vida adulta. Não acho que aproveitaria tanto quanto aproveitei (ou venho aproveitando) de cada obra se tivesse lido em uma época diferente.

Sobre a série… porra, temos que bater palmas para a HBO. A série é simplesmente perfeita, em todos os sentidos. Todos. Atuações críveis – algumas espetaculares eu diria -, cenários inacreditáveis e uma série muito, mas muito bem feita.

Pra terminar tenho que dizer que Guerra dos Tronos ensina mais sobre o comportamento humano, vida coorporativa do que qualquer “bíblia” de algum executivo famoso ou qualquer faculdade ou pós graduação pode te ensinar. Se você quer saber como é o mundo corporativo, leia a série e veja os livros. Ou o contrário. Você decide.

6 – Pearl Jam recheado de Awsomeness no Sambódromo do Rio

Foi um dos melhores shows que fui na vida. Acho que não seria muito dizer que foi o melhor, e olha que eu já fui em um bocado de shows.

Tenho uma relação estranha com essa banda. A verdade é que enquanto todo mundo lambia o saco da banda por causa de Last Kiss e posers safados eu tomei birra da banda, e achava o Eddie Vedder um grande de um bobo. Até eu ouvir o Yellow Ledbetter.

Desde então aconteceu o óbvio, virei um fã contido, porém fascinado com o som e com as letras. Aí veio a trilha sonora daquele filme merda – Na Natureza Selvagem. O filme é ruim, mas a trilha sonora e a mensagem que Eddie Veder passa naquele álbum é uma coisa incrível. Se fosse só uma tela preta tocando a trilha repetidamente o filme mereceria um Oscar.

Um mega presente do meu irmão e lá fomos para o Rio de Janeiro. No show, eu fiquei boquiaberto do início ao fim. Que som absurdo que aqueles caras fazem. Absurdo. Eu olhava para os lados para ter certeza que todo mundo tava vendo o mesmo que eu, sério. A única vez que me surpreendi assim em um show, foi no do Silverchair. O show foi incrível. Depois disso aí sim virei fanboy do Pearl Jam.

5 – Daytripper

A premiada graphic novel dos super gêmeos brasileiros Gabriel Bá e Fábio Moon é tão foda, mas tão foda que mesmo sem ter terminado de ler, ela tem lugar de honra aqui nessa lista. Eu parei de ler pouco depois de uma virada tão incrível na história que me deixou chocado ao ponto de não conseguir mais ler. Tenho que preparar meu esprírito para terminar a história. Vale a pena, vale muito a pena. Essa é uma dica de ouro.

4 – Jornalismo da ESPN Brasil

É quase um alento, ao mesmo tempo que é abominável pensar que o que deveria ser comum tenha que ser tão extraordinário. O jornalismo praticado pela ESPN Brasil é o que eu acredito que deveria ser o jornalismo: imparcial, relevante, sincero e justo. E olha que eu não estou nem classificando como jornalismo esportivo. Existem documentários investigativos, denúncias, e uma luta diária contra as falcatruas e contra a imprensa nojenta do Brasil em relação aos esportes.

Quando você começa a perceber a diferença, você fica horrizado com as outras emissoras. Principalmente a Globo. Não vou detalhar ou dar exemplos dessas diferenças aqui (fica pra outro post), mas vale citar.

3/2 – Wikileaks e Anonymous

Anonymous from Commander X on Vimeo.

Coloquei os dois juntos porque a mensagem é a mesma, contudo os meios são um pouco diferentes. A mensagem que esses grupos mandaram ao mundo, e principalmente a aquele pequeno grupo que “controla” o destino do mundo:

“Não faça merda. Nós estamos de olho. Nós não temos medo.” Não é exatamente isso, mas a mensagem é cara: se você acha que pode fazer tudo, esqueça. Esses caras tem poder, mais poder que podemos imaginar e eles não tem medo de usar.

Cada grupo merece um post separado, mas ficam aí com as duas posições mais baixas do pódio.

ps.: Usar a máscara de Guy Fawkes não faz de você um revolucionário. Muito menos quando você a coloca na sua foto do perfil do facebook

1 – “Nenhum povo deveria temer seu governo, o governo é que deveria temer seu povo”

A frase célebre escrita por Alan Moore em V de Vingança nunca fez tanto sentido na vida real quanto no ano de 2011. Só pra citar alguns, Egito, Líbia, Wall Street, etc. O povo de vários países eternamente submissos a ditadores que se deleitam sugando as riquezas e a liberdade de sua plebe sentiram na pele – literalmente – o gosto amargo dessa frase.

Essas pessoas deram alguma esperança para humanidade.

***
1 – Agora sim, podemos começar 2012
2 – Concorda com a lista? Discorda? O que você colocaria no lugar?
3 – No fim de semana, ou na sexta mesmo, vou fazer a lista do que de pior aconteceu em 2011. Tem alguma sugestão?

You may also like

2 Comentários

  • Bianca
    05/01/2012 at 06:28

    Game of Thrones é bom mesmo, mas só vi a série ainda. Ganhei de natal o box dos livros, lindão ele.

  • Ingrid
    04/01/2012 at 17:52

    Que saudade dos sues posts, principalmente aqueles com listas de coisas. Achei a Primavera Arabe o melhor do ano, são um dos poucos que tem muito motivo pra reclamar, reivindicar e correr atras, afinal eles ainda estão longe de um mundo liberto da ditadura opressora que existe nesses países.

LEAVE A COMMENT

Quem?

Pedro Turambar

Pedro Turambar

Gosto de escrever, reclamar e não tenho controle sobre chorar. Escrevo há 10 anos sobre a loucura de viver em sociedade, futebol e falo bem e mal das coisas que leio, vejo e ouço.

Newsletter - ¡Desmotive-se!

Fanpage

Mais

Arquivos