Camadas sobrepostas de branco


Que bom que você mora perto porque se virarmos amigos a gente pode sair pra tomar cerveja ali na esquina. De cerveja eu não gosto. E gosta do que? Gosto de cachaça. Excelente. Aí ela perguntou se eu queria ser amigo dela. Como eu fiz que sim ficamos amigos. Você é de onde? Não importa. Se eu te pedisse um beijo qual seria a resposta? Isso é puramente hipotético né? A resposta seria depende? Nunca se pede um beijo. Então eu a puxei pra perto e a beijei e depois sorvi o conteúdo do copo e a beijei de novo e sorvi o conteúdo dos lábios dela. Não necessariamente nesta ordem. Noite ébria aquela. E depois sentamos em uma escada qualquer e eu a olhava com aquela cara de me convida pra entrar e ela me olhava com aquela cara de quem convida pra entrar na primeira noite é puta ou pelo menos parece puta e eu não quero parecer puta. Eu a abraçava tão forte que parecia querer juntar os dois corpos num só enquanto apalpava toda extensão do corpo dela numa enorme pressa de conhecer toda aquela pele branca. Ela entrou e eu fui embora com aquela cara de amigos de verdade não se beijam na boca ou pelo menos não deveriam. Acenei com a mão. No outro dia eu acordei e acenei com a mão em direção ao despertardor. O já famoso gosto de cabo de guarda-chuva na boca e uma vontade incontrolável de prosseguir com aquela amizade. Hoje às nove? Hoje às nove. Falei pro porteiro vou no apartamento tal. Chama a fulana e fala que o Fulano tá aqui. Subi. Sofá e uns negões dançando e tremendo na emitivi. Mais beijos mais pele branca e mais abraços fortes e peraí que eu tenho um segredo. É bom ou ruim? Depende do seu ponto de vista. Dependia. Ou era lésbica ou tinha um namorado. Tinha um namorado. Era ruim, quer dizer, mais ou menos ele mora aqui? Mora longe. Então era bom, quer dizer, me beija. Se sente culpada? Não, quer dizer, me sinto culpada por não sentir culpa nenhuma. Pensei no pierrot e no harlequim e na colombina quando uma só ama dois e dois só amam uma. Mas eu não amava ninguém ainda naquele tempo e não falei porra nenhuma sobre pierrot nem sobre harlequim nem sobre colombina. Então foi uma sucessão de convites primeiro para o apartamento depois para a varanda e depois para o sofá numa sucessão infinita de ofertas e convites até ser convidado para entrar entre as pernas dela e dizer deslumbrado nossa, como sua pele é branca. Branca como? Como baunilha. Queta, baunilha é horrível e eu pensei em discorrer durante toda a noite sobre a imensidão de brancura da pele dela feito folha branca nova ou leite ou nuvens ou cocaína ou heroína que de tão branca parecia artificial mas não falei porra nenhuma. Baunilha foi uma analogia infeliz mesmo. E depois de noites e mais noite após noite mais noites e manhãs sucessivamente numa lua de mel sem fim porque tudo era novo e cada toque e cada olhar era novo como ouvir uma música pela primeira vez enchemos a cara de álcool e intimidade mais luas-de-mel mais eu estou apaixonado. Pô! Você disse o que eu estava querendo dizer há duas semanas mas não tinha coragem porque não tinha garantias da sua resposta. Pô! Porque não disse logo então diz agora. Não digo diz não digo diz não digo diz. Tô apaixonada. Aquilo soou extremamente maligno e sensual e eu gostei. Quem diria eu, um destruidor de relacionamentos. Mais beijos. Descobri a parte do seu corpo que mais gosto e coloquei a mão no peito dela. Você gosta mais do meu peito? Não, do seu coração. Não sei onde você arruma essas frases tão ridículas mas ao mesmo tempo tão fofas. Respondi que que achava as frases em filmes de quinta categoria, que só passavam de madrugada. Nosso filme só passaria de madrugada. Mas isso eu não disse. Noutro dia ela não tinha mais namorado e eu tinha um relacionamento aberto. A vida é assim meu bem, sexo é liberdade e amor é culpa. Uma culpa gostosa e safada e uma grande responsabilidade também. Estar com alguém apaixonado é estar responsável pelo sofrimento potencial de outra pessoa. E a cada dia mais ossos e carne coberta de brancura infinita e a cada olhar um abismo cheio de cumplicidade. Eu adoro seu cheiro. E eu lá tenho cheiro? Tem, claro que tem. Você tem cheiro de você. No colo dela eu reclamo o dia inteiro de coisas banais como merda, tenho que aprender francês ou merda, tenho que terminar de escrever uma coisa que comecei a escrever ontem. E agora vou vivendo cada dia como se fosse o último e ficamos sem vergonha de sentir, de tocar, cheirar. Resolvemos que não somos normais e que não temos que ser e que somos especiais porque somos nós. Porque nos encontramos.

Camadas sobrepostas de branco

Falhei na descrição da brancura da pele dela mas o Rubem Fonseca fala por mim. “A cor da pele […] tem a brancura do lírio das heroínas dos romances antigos, um lírio branco, profundo, camadas de branco superpostas, um abismo de alvura sem fundo. Como o branco do meu sonho, um sonho em que não há pessoas nem tramas, nem objetos, só a cor branca e a cor preta, no sonho tudo começa em trevas profundas e nada se vê na escuridão. Subitamente tudo fica claro, mas também nada se vê na luz cegante“.

***

1 – Pedido especial do Neto. Continuo com minhas crônicas experimentais ou elas estão chatas? Gostou? Diz aí.

2 -Descobri uma banda que eu gosto e que você provavelmente não vai gostar.

3 – Todo dia eu descubro uma música nova legal do Chico Buarque.

You may also like

38 Comentários

  • Thais Waack
    22/06/2014 at 18:11

    Que coisa mais linda. (Tanto a crônica como Coeur de Pirate.)

  • Marcus
    19/09/2012 at 13:07

    Só posso dizer uma coisa, que era um termo entre amigos: punhetável!
    Mas não no sentido de baixaria, de coisa que se faz escondida. É algo tão bom, tão bem feito, que merece uma homenagem…

  • Bernardo Morais
    19/11/2009 at 10:32

    e a propósito, vc nao é o unico a gostar de Coeur de pirate!

    • Neto Macedo
      19/11/2009 at 11:31

      @Bernardo Morais, oi Bernardo! Obrigado por comentar. =)

      Legal saber que tem mais gente que houve a menina lá do Coeur de Pirate. Eu adoro todas do CD. =)

  • Bernardo Morais
    19/11/2009 at 10:31

    opaa Neto.
    que intenso hem! mto bom!

    vou guardar…”Branca como? Como baunilha. Queta, baunilha é horrível”

    parabéns!

  • Letícia
    29/09/2009 at 20:30

    muito lindoo NETOO !

    totalmente inspiradoo 😀 rsrs 🙂

    • Neto Macedo
      29/09/2009 at 20:45

      @Letícia, menos inspirado, mais experienciado. 😉

  • Letícia
    29/09/2009 at 20:30

    g-zuiiiiz

  • Dias
    23/09/2009 at 21:29

    gostei cara
    deve continuar com as cronicas sim
    =]

    []’s

    • Neto Macedo
      23/09/2009 at 22:11

      @Dias, valeu pelo apoio cara. Daqui alguns dias sai outra novinha. =)

  • Wagner Duarte
    23/09/2009 at 10:09

    Cara só posso dizer que valeu a pena você passar a noite escrevendo !!!
    Estou feliz pelo reconhecimento da galera, isso é muito importante, mais que isso é a sua auto motivação, e tenho certeza que esta vai muito bem obrigado!

    sucesso!

  • Hugo Meira
    23/09/2009 at 01:03

    O importante é que agora, além do respeito, claro, você perdeu sua virgindade.

    Parabéns neto, crônica boa, mas com formatação cansativa.

    • Neto Macedo
      23/09/2009 at 01:59

      @Hugo Meira, valeu. Perder a virgindade sempre é uma emoção na vida da pessoa. Obrigado pelo apoio. o/

  • Pedro Américo
    22/09/2009 at 21:38

    Sr. Neto, eu queria sinceramente mandar vossa senhoria para casa do caralho. Grato.

    Não pare velho. É como eu disse uma vez, cada um aqui tem o seu estilo e o seu texto, o meu texto ou é xingar, ou é me foder para a galera rir. O texto da Naya é inteligente, engraçado pra caralho. O do Diego ou é uma denúncia, ou é explicando, ou é falando como um gênio sobre música. O seu, meu caro, é o dia-dia, é o texto moleque, é a crônica.

    Putz. Não vou elogiar mais pq se nao vc fica 3 meses sem postar.

    • Neto Macedo
      23/09/2009 at 00:45

      @Pedro Américo, Calma Pedrão, não falei que eu vou parar. Hehehe. Só perguntei se escrever assim, tudo junto, sem parágrafo e sem muitas vírgulas fica chato ou confuso. =)

      Se gostaram, tá ótimo. Vou escrevendo. =P

  • Beca
    22/09/2009 at 17:21

    Adorei. Parabéns! vc já é talentoso… “inspirado” é ainda melhor

    bjusss

  • Kavalinhu
    22/09/2009 at 14:46

    Velho, você tem talento. Belo post!

    • Neto Macedo
      22/09/2009 at 16:58

      @Kavalinhu, obrigado. E valeu pelas indicações no twitter. =)

  • PriiH
    22/09/2009 at 13:29

    Ai adorei *-*
    [/lindíssimo!

    Continua siim =D

  • Cássio Godinho
    22/09/2009 at 12:28

    Gostei bastante tambem. Essa onda do Neto de falar sobre amor e sexo ta rendendo uns bons posts eim xD

    • Neto Macedo
      22/09/2009 at 16:56

      @Cássio Godinho, calma que eu nem comecei a falar de sexo mesmo, de foder, de suor, sal e porra saindo do corpo. Calma que a coisa vai ficar suja, bem suja mesmo, e quando tudo ficar bem lambuzado e os textos ficarem bem brutais mesmo aí eu paro e vou escrever sobre namorinho de portão. =)

      • Cássio Godinho
        22/09/2009 at 17:10

        @Neto Macedo, Credo, jaja vai precisar se confirmação de maioridade pra poder acessar o blog entao uehauheuah

        • Carla Maris
          23/09/2009 at 09:12

          @Cássio Godinho, Daqui um dia e blog vai ter uma sessão só de contos eróticos comandada pelo Neto!!! o/o/o/….
          Adooooorooooooo!!!!
          hahahahahaha….

          • Neto Macedo
            23/09/2009 at 11:20

            @Carla Maris, bom, não é bem um conto erótico né? É mais um conto de duas pessoas normais mesmo. Sem bons amantes, disposição a toda hora e toda aquela conversa. =)

            Mas se quiserem eu escrevo um conto erótico mesmo, daqueles beeeemm… eróticos. =p

            • Carla Maris
              23/09/2009 at 11:46

              @Neto Macedo,
              Rsrs…
              Na verdade fiz tal comentário me baseando no que voce disse acima, que AINDA não tinha começado a falar sobre sexo…
              Seria interessante, por que não tenta???
              No maximo vão dizer que não gostaram…
              Não custa tentar.

              Beijos.

              • Neto Macedo
                23/09/2009 at 12:11

                @Carla Maris, opa. beleza. Sigo a dica e escreverei algo do tipo. =)

          • thaisleny ferreira
            19/10/2009 at 17:36

            @Carla Maris,

            • Neto Macedo
              19/10/2009 at 17:47

              @thaisleny ferreira, Ué. Não escreveu nada? Hehe.

  • Carla Maris
    22/09/2009 at 11:23

    Incrivel o texto.
    Estou sem palavras!
    Muito bom, muito bom MESMO!!!
    Parabéns!

    • Neto Macedo
      22/09/2009 at 16:54

      @Carla Maris, Que bela surpresa! Eu postei isso hoje de manhã morrendo de sono porque fiquei a noite inteira escrevendo isso pra depois escrever no PC. Foi bom entrar aqui e ver um monte de gente comentando que gostou. =)

      Quando eu escrevi e li tinha achado um tanto chato. Mas acho que tava com sono. =

LEAVE A COMMENT

Quem?

Pedro Turambar

Pedro Turambar

Gosto de escrever, reclamar e não tenho controle sobre chorar. Escrevo há 10 anos sobre a loucura de viver em sociedade, futebol e falo bem e mal das coisas que leio, vejo e ouço.

Newsletter - ¡Desmotive-se!

Fanpage

Mais

Arquivos