na imagem, o primeiro gol de fred pelo atético contra o ex-clube cruzeiro

Fred Guerreiro volta pro Cruzeiro


Eu sempre admirei o futebol do Fred. Desde os tempos da sua primeira passagem pelo Cruzeiro. Atacante nato, faro de gol, prolífico, referência técnica e um líder dentro e fora de campo. Qualidades que qualquer time não só gostaria, mas deveria ter num atacante.

Eu nunca gostei do Frederico. Não tem um “porquê”, eu simplesmente nunca fui muito com a cara dele. Normalmente isso acontece com os ídolos do rival, para mim. Há exceções, claro, como o grande Alex. Fred teve minha simpatia, porém, quando jogou no Lyon. E depois, quando conseguiu liderar, de forma épica, a salvação do Fluminense.

Mas a verdade é que meu santo nunca bateu. E apesar de admirá-lo em campo, seu comportamento ser ‘dono’ de tudo sempre me incomodou.

Aí Fred veio pro Atlético.

Saindo brigado do “seu” Fluminense. Apenas porque com Levir, ele não pode ser o Dono.

O então presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno — que o inferno nunca tenha piedade da alma dele —, numa jogada “esperta”, tentando claramente emular a jogada de Kalil ao trazer Ronaldinho (sem querer comparar, é claro), foi lá e trouxe o Fred. Eterno sonho dos Cruzeirenses, que sempre o consideraram um ídolo, com aquela certeza arrogante que costumam ter, que seus ídolos são apaixonados pelo clube celeste.

Coitados. A única camisa que jogador de futebol é apaixonado é feita de couro e se guarda no bolso. Exceções (raras), confirmam a regra. E que fique claro, isso não é uma crítica, é uma constatação. Trouxa é o torcedor que acha que jogador joga por amor.

Nepomuceno, o Bozo sem carisma e inteligência — talvez uma das pessoas mais despreparadas que eu já vi comandando um clube de futebol —, fez o que todo dirigente brasileiro costuma fazer: aceita gastar uma fortuna numa ideia e não em uma realidade.

Contratam, em maioria, o que foi, nunca o que é.

Em todas as vezes que vi Fred com o uniforme do Atlético eu achava que havia algo errado. Não combinava. Não batia. Não fazia sentido. Era palpável a estranheza. Quase um bug na Matrix.

Fred trouxe consigo, toda sua carga. Já entra tomando conta de tudo e todos. Junto com Robinho, o Eterno Medíocre, comandou a derrocada de Roger que, mesmo com culpa no cartório, foi claramente derrubado. Fred também chegou criando problemas com um dos ídolos do clube e da torcida. Lucas Pratto.

Nepomuceno vendeu Pratto.

Ficamos com Fred.

Um ótimo jogador. Uma pessoa nem tanto. Um salário astronômico que nunca se pagou em campo. Pro elenco que o Atlético tinha, deveria ter sido algo. E não classificamos para a Libertadores que classifica quase metade do campeonato.

Eis então, que Guerrero é suspenso e surge a notícia da procura pelo atacante do Atlético. O novo presidente — aparentemente um homem com mais que dois neurônios — oferece Frederico de bandeja. “Leva, por favor.” A pena diminuiu e o Flamengo desistiu. Mas aí surge, novamente e sem surpresa, a burrice do dirigente brasileiro.

O Cruzeiro foi, enfim, repatriar Fred.

na imagem, o jogador Fred vestindo a camisa do cruzeiro posa ao lado de dirigente do clube

Mas ao invés de pagar apenas o salário exorbitante e absurdo para alguém de 34 anos que teve um ano ruim (apesar dos números —  tira o Estadual pra ver como ficam esses números), o Cruzeiro terá que pagar ao Atlético 10 milhões de reais.

Eu, em toda minha vida, poucas vezes vi um negócio tão claramente ruim para um dos lados. Desde que eu comprei o Bebeto, o Jorginho e o Mazinho do álbum da Copa de 94, por toda minha mesada, alguém não fazia um negócio tão ruim.

O pior de tudo, é que eu não queria ver o Cruzeiro passando por essa vergonha. Porque eu não queria nunca que o Fred tivesse vindo pro Atlético. O resultado, em títulos e campanha teria sido o mesmo e ainda teríamos Lucas Pratto.

na image, o ex-jogador do atlético, lucas pratto, comemora gol com a camisa do galo

Esse sim, um cara em que a camisa preta e branca veste perfeitamente.

1. Durante a vida eu descobri que escrevo muito mais sobre futebol que eu imaginava. Tenho uma publicação no Medium só disso. No blog você também pode encontrar alguns.

2. Veja o artigo em que Mauro Cézar Pereira discute sobre a contratação de Fred pelo Cruzeiro.

3. Feliz Natal!

Pedro Turambar

Já fui de um tudo nesta vida, mas há uma coisa que nunca deixei de ser: escritor. Escrevo para viver e manter minha sanidade em um mundo tão louco. Sou uma mistura de palavras, lágrimas e reclamações.

You may also like

LEAVE A COMMENT

Quem?

Pedro Turambar

Pedro Turambar

Gosto de escrever, reclamar e não tenho controle sobre chorar. Escrevo há 10 anos sobre a loucura de viver em sociedade, futebol e falo bem e mal das coisas que leio, vejo e ouço.

Newsletter - ¡Desmotive-se!

Fanpage

Mais

Arquivos