Jack Kraven – Episódio 1 – Parte 2


Veja a primeira parte do primeiro episódio: Jack Kraven – Episódio 1 – Parte 1

***

jack kraven

Jack se levantou enquanto sacava suas pistolas, foi um movimento que ninguém naquela taverna pode ver, quando assustaram Gamble já estava com os miolos pregados na parede, antes que alguém conseguisse se mexer mais 4 já estavam entrando no vale da morte. Jack Kraven era rápido, céus como era rápido. Ele nunca disperdiçava uma bala. Enquanto alguns se atreviam a atirar nele outros fugiam prometendo a Deus que nunca mais fariam nada de mal. Jack parecia dançar, o corpo se movia perfeitamente, as armas pareciam espadas que eram brandidas pelo melhor dos espadachins.

Tinha apenas mais uma bala no tambor e ainda havia vários porcos para matar, mas ele não se preocupou, ia mostrar sua mágica. Rapidamente viu quem iria receber a última bala, Trevor Hausban ia saindo de fininho enquanto seus homens atiravam ‘protegidos’ pelas mesas do Antro Gumble. Jack se projetou para frente e enquanto caia no chão acertou o joelho de Hausban, não era hora…ainda. Ele foi se deslocando calmamente em direção a parede oposta a seus inimigos, colocou os tambores para fora e girou-os no cinto. Pronto, tambores cheios denovo. Ele apontou as armas e assobiou. Todos pararam de atirar, o cheiro de sangue e morte impregnava o local e Jack ria, ouvia-se apenas a respiração ofegante dos corajosos combatentes, o choro da viúva Caty e o som da dor de Trevor Hausban.

– Vocês tem certeza que vão continuar atirando em mim? – perguntou Jack com uma voz que fez seus inimigos pensarem seriamente em responder ‘não’.

Um a um eles foram levantando com os braços levantados num sinal de trégua. Um a um foram tombando mortos com um tiro no meio da testa. Jack Kraven também não jogava limpo. Quem mais estivesse no local não iria aparecer para atrapalhar.

– Levante daí sua PUTA! – gritou Jack para Cat Gumble.

– Não me mate…não me ma..

– AHAHAHAHA Essa é boa, levante-se e morra com um mínimo de dignidade, se é que você merece isso.

Ela foi se levantando vagarosamente e Jack foi se aproximando, ele deu apenas uma olhadela para o lado. Tudo bem, o Sr. Hausban continuava lá, perto da porta de vai-e-vem sem se mexer. Ele então olhou para a mulher parada em sua frente, ela tremia de cima embaixo, um forte cheiro de urina vinha de seu ventre e o fez sentir ainda mais nojo daquela mulher. Jack primeiro cuspiu no rosto de Cat e antes que ela pudesse se afastar segurou ela pelo pescoço e disse:

– Abra a boca.

– Rmmsslwmm. – Cat disse de boca fechada sem que ele pudesse entender. Mas ele havia captado a mensagem.

Ele então atirou de lado. Metade da boca da senhora Gumble viajava pelo saloon, junto com seus dentes. Ela urrava de dor, colocou as mãos na boca mas o sangue não parava de jorrar. Jack resolveu deixá-la por um momento e foi em direção ao seu próximo alvo. Hausban já estava com metade do corpo para fora da estalagem quando o seu algoz o puxou de volta. “Aonde pensa que vai Trevor? Temos contas a acertar meu caro.” Quando ouviu isso Trevor teve a certeza que jamais sairia vivo daquele lugar, enquanto a isso tudo bem ele já esperava desde o momento em que viu os olhos daquele ‘menino’ prometendo sua vingança, só tinha medo do quanto iria sofrer até poder finalmente morrer.

Quando Jack o trouxe para dentro ele pisou no joelho em fragalhos de Trevor, queria ouvi-lo gritar. E ele gritou, ó como gritou, parecia uma puta, os gritos eram como música para o ouvido de Jack. Ele então atirou no outro joelho e subiu em cima. O que parecia impossível aconteceu, Trevor gritou ainda mais alto, enquanto Jack Kraven dava sonoras gargalhadas, quase tão altas quanto os gritos de dor. Ele então saiu de cima do seu inimigo antes que este desmaiasse, quando se endireitou viu que a viúva Gumble estava de frente para ele com uma arma apontada diretamente para sua testa. Jack parara de sorrir, mas olhava triunfante para a viúva coberta de sangue segurando uma arma. Ela estava tremendo, mas não erraria o tiro não sai Gumble – como diria um outro pistoleiro.

– Então, vai atirar ou vai ficar aí igual a um zumbi olhando para mim? – perguntou Jack quase rindo da situação.

Antes que ela pudesse responder, eles ouviram um estouro e a cabeça de sai Gumble explodiu do lado explodiu do lado esquerdo. Hart, o barman havia matado a esposa do seu ex-patrão com uma escopeta. Antes que ele pudesse carregar a arma para mais um tiro, Jack já estava atirando. Ele atirou nas mãos do barman, que se transformaram numa massa disforme de carne.

– Eu não iria poupar você por isso.

– Arrrrgh…e-eu sei..é que…há te-tempos, eu queria fazer isso.. – disse Hart se segurando para não demonstrar seu medo e sua dor, “Isso – pensou Jack – era morrer com dignidade”.

Jack não poupou balas para Hart. Fez uma ‘peneira’ como costumava dizer. Ele foi se dirigindo à saída, parou apenas para olhar sua vítima ‘sem joelhos’ e dizer:

– Você merece sofrer um pouco mais, mas não se preocupe, você não terá nem tempo de sentir saudades.

Ele então colocou suas ‘garotas’ no coldre e saiu da Taverna Gumble deixando apenas a morte para trás.

Fim do primeiro episódio.

Pedro Turambar

Já fui de um tudo nesta vida, mas há uma coisa que nunca deixei de ser: escritor. Escrevo para viver e manter minha sanidade em um mundo tão louco. Sou uma mistura de palavras, lágrimas e reclamações.

You may also like

7 Comentários

  • Daniel
    05/08/2009 at 15:37

    Que bom, se faz muito tempo que essa história não é postada eu entendo, mas ela é realmente muito boa.

    espero o próximo.

    PS: Não se preocupe não dou ouvidos a esse tipo de coisa

    • Diego Camara
      05/08/2009 at 16:04

      @Daniel,

      Tem gente que tem problemas graves de falta de humor…

      é a vida…

  • Daniel
    04/08/2009 at 19:34

    Está perfeitamente boa e bem escrita, estava procurando outras coisas e achei esse site, que nunca havia visitado, não costumo deixar um comentário na primeira vez que vejo um blog, mais esse mereceu.

    estou esperando o próximo cap.

    • Diego Camara
      05/08/2009 at 14:55

      @Daniel,

      Vamos ver se sai na próxima decada…

    • Pedro Turambar
      Pedro Turambar
      05/08/2009 at 15:33

      @Daniel, Cara, não escute o Diego.

      Obrigado por ter comentado… eu tinha abandonado essa história mas vc me motivou. já já aparece outro capítulo.

      abraço e obrigado!

  • Carla Maris
    16/12/2008 at 15:17

    muito bom.
    vou esperar o resto ansiosa. = D

LEAVE A COMMENT

Quem?

Pedro Turambar

Pedro Turambar

Gosto de escrever, reclamar e não tenho controle sobre chorar. Escrevo há 10 anos sobre a loucura de viver em sociedade, futebol e falo bem e mal das coisas que leio, vejo e ouço.

Newsletter - ¡Desmotive-se!

Fanpage

Mais

Arquivos