O Boletim Escolar de 1997


Acho muito engraçado quando a gente encontra e ‘descobre’ certas coisas sobre nosso próprio passado que nossa mente simplesmente apaga. Há um tempo atrás eu postei aqui a primeira história que eu escrevi na vida – com seis anos -, a História de Uma Nota Só. Eis que no meio do turbilhão de tralhas, que eu me deparei na recente mudança de apartamento, eu encontrei um documento que me causou choque, surpresa e muita, muita risada. Era o meu boletim escolar da 4ª série.

O boletim mesmo havia sido perdido, mas nem importava muito, o ouro aqui era as quatro folhas que constavam avaliações do meu desempenho durante todo aquele ano de 1997 no saudoso Colégio Kennedy.

cara de bom aluno

cara de bom aluno

Eram três avaliações por bimestre. Uma feita por uma das minhas professoras. Outra feita por mim mesmo. E por último, uma avaliação feita por meus pais (no caso, minha mãe, mas eu tive espasmos só pensando no que meu pai diria).

As revelações são assustadoras. Vamos ao primeiro bimestre.

Boletim Escolar – 1ª a 4ª Série                      .                 Ano: 1997

Aluno(a): Pedro Américo Henriques        Série: 4ª                 Turma: Única     

Professora: Marilce/Gláucia

 

1º Bimestre

Avaliação Qualitativa Professor

“Desenvolve com facilidade todas as atividades propostas, porém não está demonstrando compromisso com os deveres de casa. Desconcentra-se com conversas paralelas. Na maioria das vezes, relaciona-se bem com os colegas”.

[COMENTÁRIOS]: Veja bem, eu QUASE NUNCA fiz dever de casa em toda minha ‘carreira’ escolar, até então, nenhuma surpresa. Vê-se bem que é um professor falando quando você vê a expressão “conversa paralela” que só eles falam, tentava – nessa época – desenvolver a conversa diagonal, a conversa shicane, a conversa com curva fechada e com sinal vermelho, mas falhei miseravelmente. Atente-se para a palavra ‘maioria’. Eu sempre fui um cara meio difícil de conviver. Não há assinatura, não sei se qual das professoras escreveu.

 

Auto Avaliação do Aluno

“Os meus erros foram conversar, falar auto, e não respeitar o profesor(a)

Os meus acertos foram prestar mais a atenção, estou trazendo mais os deveres.”

[COMENTÁRIO]: Eu dei um belo sorriso com o meu uso do (a) no final da palavra professor. Eu sempre achei isso horroroso, e mesmo eu tendo duas professoras (com a) eu tenho certeza que coloquei isso aí por gosto, de sacanagem, e me deixa feliz saber que eu já era crítico e sarcástico. Porém não coloquei ponto final na sentença, e a de baixo é de uma coesão linda de se ver.

 

Comentários dos Pais ou Responsáveis

“Pedro, você em 1º lugar está escrevendo muito errado. Na sua auto-avaliação, escreveu duas palavras erradíssimas, e a partir de hoje terei de sentar-me ao seu lado para fazer o dever como uma criança do pré. E o farei, se Deus quiser. Você continua mentindo e muito disperso. Vamos ser mais responsáveis no outro bimestre.

Jane.

Obs.: Até o nome da professora na prova de português o Pedro escreveu errado!”

[COMENTÁRIO]: Olha… essa foi DE LONGE uma das maiores broncas que eu já tomei da minha mãe. E por escrito ainda por cima. Eu fiquei com vergonha demais. As tais palavras erradas que eu escrevi, a princípio não havia reparado, mas olhando bem, vi que havia borracha nas duas que eu deixei em negrito, então foi fácil. Ela realmente sentou-se ao meu lado. Principalmente para fazer com que eu escrevesse certo. Que vergonha…

 

2º Bimestre

Avaliação Qualitativa Professor

“Esperto e inteligente, mas um pouco desorganizado na execução de suas tarefas. Bastante inquieto em sala de aula.”

[COMENTÁRIO]: Esses professores também… tá igual jogador de futebol com papo de boleiro. Fala, fala, mas não fala nada. Hunf. Mas eu entendo, se eu fosse professor, tendo que avaliar 3087947649 alunos, eu escreveria no máximo “Bom”, “Ruim” ou “Péssimo”.

 

Auto Avaliação do Aluno

“Eu já melhorei muito mas falta: prestar mais atenção e falar menos mentira

Eu já melhorei em: já estou trazendo mais deveres”

[COMENTÁRIO]: Ponto final pra quê não é mesmo? Bem, começo a notar o meu padrão de toda a vida de não conseguir ‘conversar’ em uma linha apenas. É ‘enter’ pra mais de metro, quem me conhece sabe. Eu já entendi também que eu estava falando o que eles queriam ouvir. Repare que eu repeti que já havia melhorado em trazer os deveres. Isso só quer dizer pra mim que eu não estava levando dever coisa nenhuma. Outra coisa, porque alguém tão sincero ao dizer que precisa falar menos mentira precisa falar isso? Em? Pense nisso.

 

Comentários dos Pais ou Responsáveis

“Pedrinho, você está ficando mais responsável, mas precisa ficar mais, afinal, ano que vem é a 5ª série. Concentre mais. Beijos mamãe.”

[COMENTÁRIO]: Eu devo ter acertado mesmo. Minha mãe passou da bronca sinistra a “Pedrinho” e “Beijos mamãe”. Ah garoto! E ela já mostrava preocupação com a 5ª série, o que era necessário, já que tudo ficaria bem mais difícil, como ficou.

 

3º Bimestre

Avaliação Qualitativa Professor

“Demonstra segurança ao realizar as atividades propostas, mas nem sempre se concentra para desenvolvê-las e entregá-las “pontualmente”. Na maioria das vezes, seu relacionamento com os colegas é satisfatório.”

[COMENTÁRIO]: Ué, por que pontualmente está entre aspas? Talvez na verdade a professora queria dizer “arrogante mas preguiçoso” mas preferiu o papo de boleiro do magistério novamente.

 

Auto Avaliação do Aluno

“Eu sou muito desorganizado e falo demais

Eu melhorei na amizade com meus colegas”

[COMENTÁRIO]: Sem pontos finais de novo. Acho que eu escrevia sempre em duas linhas para tudo ficar melhor alinhado no quadrado branco que era o meu espaço. A tal amizade nunca havia sido um problema, mas ‘melhorei’ nele. Nem mencionei os deveres, acho que larguei de lado mesmo.

 

Comentários dos Pais ou Responsáveis

“Pedro, seja responsável na hora de efetuar suas tarefas. Passei o ano inteiro falando isso. Você é ou não é bom aluno? Jane, sua mãe.”

[COMENTÁRIO]: *chorando de rir* “Jane, sua mãe” (caso você tenha esquecido seu animal!). Não mãe, eu definitivamente não era nem nunca fui o que os professores entendem por ‘bom aluno’. Era o sinal claro de que ela já tinha perdido a paciência comigo.

 

4º Bimestre

Avaliação Qualitativa Professor

“Desenvolveu bem as atividades propostas em sala de aula, mas nas atividades de casa deixou um pouco a desejar. Para a 5ª série, precisa dedicar-se um pouquinho mais, com mais responsabilidade. Boas férias e um 1998 cheio de alegrias.”

[COMENTÁRIO]: Voltamos ao problema do dever de casa. Termina com o boleirês normal.

 

Auto Avaliação do Aluno

“Eu estou muito preguisoso e bagunceiro”

[COMENTÁRIO]: Tão preguiçoso que nem escrever você consegue né maldito? Parece a mensagem final de quem desistiu de qualquer possibilidade. Eu era de fato um caso perdido.

 

Comentários dos Pais ou Responsáveis

“…”

[COMENTÁRIO]: Minha mãe chegou à mesma conclusão. Tanto que não escreveu nada, largou de mão. Caso perdido.

 

***

Eu ainda encontrei um boletim da 7ª Série, esse só as notas. No meu último ano no Colégio Kennedy, eu tomei recuperação em uma matéria, matéria essa que seria a minha pior nota no ano. A matéria?

Português (Redação e Literatura).

Pode um negócio desse? Aonde foi nessa vida que eu achei que eu poderia escrever qualquer coisa?

Eu hein.

 

Pedro Turambar

Já fui de um tudo nesta vida, mas há uma coisa que nunca deixei de ser: escritor. Escrevo para viver e manter minha sanidade em um mundo tão louco. Sou uma mistura de palavras, lágrimas e reclamações.

You may also like

8 Comentários

  • Dias
    07/09/2013 at 19:02

    “Jane, sua mãe”

    ri de mais com esse texto velho!!! achar umas coisas dessas perdidas é muito bom!! e pensar que nesse tempo nem tinha tanta preocupação assim!!

    abraços velho!!

    • Pedro Américo
      06/12/2013 at 01:54

      Eu rio de chorar só de lembrar desse “Jane, sua mãe.” auhahuhuahuahua

  • Caio Pereira
    05/09/2013 at 12:02

    Cara, sua última atualização foi 19 de Agosto.. atualiza esta merda!

  • Vinícius Carmo
    29/08/2013 at 13:24

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Raxei das reticências da sua mãe no fim tipo: PUTAQUEPARIU NESSE MININO

    hahahahahhahahahahahahahah

    • Pedro Américo
      06/12/2013 at 01:55

      HAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHA toda essa merda pra render nessa bosta de ser humano!

  • Thais Waack
    25/08/2013 at 10:37

    Hahahahhaha, choreeeeei de rir! Meus boletins não tinham isso de “Avaliação do Professor”, “Auto-avaliação” e “Comentários dos Pais”. Não teria muito efeito pois, como minhas notas eram boas, minha mãe REALMENTE não se importava com o fato de que eu conversava horrores e não entregava lição nenhuma.
    Enfim, o texto ficou hilário. E a ausência do comentário da sua mãe no 4º bimestre foi épica. hahahha

    • Pedro Américo
      06/12/2013 at 01:56

      AHahhahahahaha eu ainda me divirto só de lembrar disso tudo.. e minha mãe continua doidinha assim até hoje. Mas nessa época ela meio que foi desistindo de mim mesmo..

      No final ela nem reclamava mais.

LEAVE A COMMENT

Quem?

Pedro Turambar

Pedro Turambar

Gosto de escrever, reclamar e não tenho controle sobre chorar. Escrevo há 10 anos sobre a loucura de viver em sociedade, futebol e falo bem e mal das coisas que leio, vejo e ouço.

Newsletter - ¡Desmotive-se!

Fanpage

Mais

Arquivos