Music is Very Porreta // 40 Anos do Lendário Woodstock 69

Sendo um blog que fala de música rock o tempo todo, não poderíamos deixar de falar algumas coisinhas sobre os 40 anos do festival mais lendário de todos os tempos: Woodstock de 69!

woodstock3

O encarte especial do Estado de Minas deste sábado diz e eu concordo “40 anos dos três dias que mudaram o mundo”. Imagine só o cenário: 1969, o homem subindo a Lua, guerra do Vietnam, Guerra Fria, jovens sem saber o que queriam e o que iriam fazer da vida, movimento hippie, drogas, drogas e mais drogas, artistas que se tornariam lendários, uma fazenda no interior do estado de Nova York, 500 mil pessoas, lama e história sendo feita.

Aí você pensa “Só pode dar merda!” e deu… muita, mas se não fosse isso, não seria Woodstock.

woodstock2

O negócio foi tão sinistro que hoje você ouve o nome do festival e já pensa como deve ter sido ver aqueles shows, já pensa em como rock mudou o mundo de verdade, já pensa em como a música – e os músicos – de hoje, são uns merdas sem ideais, em como você queria estar lá.

Eu conheci Woodstock pelo disco duplo do festival de 94. Presente do meu querido padrinho – falando nisso, valeu Tio Fernando! – que me fez descobrir Green Day, Metallica, Joe Cocker, entre outros. E isso, obviamente me levou a descobrir o Woodstock de 69 e tentar entender o que pode ter sido ver os shows mais históricos das carreiras de artistas como Janis, Hendrix, Santana, The Who, Ten Years After, Creedance… e da música que – para mim – mais marcou o festival: a versão de With a Little Help From My Friends, por Joe Cocker:

Foram 3 dias no paraíso, 3 dias atemporais, 3 dias que só quem viveu pode ter idéia do que pode ter sido (psicodélico né?), 3 dias em que o mundo parou, 3 dias em que o Rock se mostrou, 3 dias de todo mundo peladão, fumando um e celebrando a vida e a liberdade!

Pena que eles, que estiveram lá, não podem contar pra gente como foi. Pois como disse um velinho numa entrevista “Se alguém te disser que lembra como foi o Woodstock, ele não esteve lá”.

Paz e amor! \/

***

1 – No Fottus tem uma galeria com 100 fotos do festival, obrigo você a ir lá ver.

2 – Sempre que posso eu linko o Quem Matou a Tangerina, principalmente nos posts de rock.

3 – Aqui o site (oficial?) do festival do jeito que tinha que ser, mais hippie e antigo possível (1996 feelings).


Vortex // Coisas que Marcaram Minha Infância | EDIÇÃO ESPECIAL

Meus caros colegas, hoje é dia 12 de Outubro. Dia das Crianças. Dia da Nostalgia. Estou preparando posts emocionantes para hoje, e como eu criei a seção “Coisas que Marcaram Minha Infância” nada mais justo que fazer uma edição especial para o dia de hoje.

Como não podia deixar de relembrá-los, clique aqui e aqui, para verem os dois posts que eu já fiz nesta seção, para começarmos a seção Nostalgia de hoje.

Bom, eu fui uma criança feliz e serelepe, gostei tanto de ser criança que sou uma até hoje, preso nesta cara de gente grande. Tenho 21 anos, mas o espírito sempre será de criança. Lembro de muita coisa. E uma das coisas que mais marcaram minha infância..foi a conquista do Tetra.

Eu tinha 7 anos de idade. Me lembro de todos…TODOS…jogos do Brasil. Mas o que mais me lembro, é daquela falta. 2 a 2 contra a poderosa Holanda, Branco se prepara para bater a falta. Romário sai da frente no último milésimo. Golaço, vi o Branco correndo em direção ao banco de reservas, chorando. E eu chorando igual menino pequeno – que de fato era – ali começou minha paixão pelo futebol. Era a maior felicidade que eu tinha experimentado.

Eu sempre falo aqui, que sou apaixonado por leitura, por livros e tudo mais. Onde esta paixão começou?! Fácil. Ifância. Com o que? Mais fácil ainda. Revistinhas da Turma da Mônica. Meu vício de ler antes de dormir começou com as infinitas revistinhas da Mônica.
Quem nunca leu que atire a primeira pedra. Cascão, Cebolinha, Magali e Mônica. Os intermináveis planos infalíveis do Cebolinha, a briga do Cascão com a água, a comilona Magali e as porradas da Mônica. Além da turma da Rua de Baixo. Franjinha, Horácio, Tina, Rolo e o meu preferido Do Contra. Me ensinou a ler esse Maurício de Souza. Além de aprender várias coisas.

Na televisão, putz..muita coisa. Criança, além de brincar na rua – como era na minha época – não tinha absolutamente nada para fazer. E a televisão estava lá. Não vou falar do óbvio, Xuxa, Angélica, Mara Maravilha, TV Colosso, CRUJ e tantos outros programas. Além dos desenhos, que merecem um post só para eles. Vou falar de uma série, poderia escolher tanto Castelo Rá-Tim-Bum – que também merece um post só pra ele – e nem No Mundo da Lua, que eram ótimas séries. Vou falar da série com a melhor música de abertura de todos os tempos. Anos Incríveis.

Simplesmente maravilhoso! Acompanhar Kevin e suas desventuras infantis, pré-adolescentes e mais tarde adolescentes foi incrível – literalmente. Eu senti que ia crescendo junto com ele. Era ótimo assistir aquilo. Embalados sempre pela ótima música de Joe Cocker – With a Little Help From My Friends – ríamos, choravamos e íamos ao delírio com Kevin, fua família e seus amigos.

Bom, já falei de jogos, música, televisão, futebol…o que falta?…falta falar da família. Meus irmãos, meu pai e minha mãe. Sou o caçula, mas vivendo em uma família onde todos são crianças até hoje, isso não fez muita diferença. Os vídeos que gravávamos quando pequenos. Mateus imitando Gil Gomes enquanto eu filmava, e eu declamando o poeminha do cara que nunca tinha bebido, fumado e metido. AHAHAHAHAHA, sim, eu falava essas coisas. Tenho que agradecer, por toda minha vida, a essa família, que sempre deu liberdade para sermos crianças, nos puxou as orelhas quando preciso. Eu, Mateus e Daniel. Eternas crianças, filhos de Jane e Vanderlei. Quando estamos todos juntos nos raros Domingos em família. Voltamos todos a ter no máximo 10 anos. Mateus gostando de chuva, eu falando muito, Daniel contando as novas, Vander e Jane os sempre apaixonados.

Obrigado a todos vocês, que me deram uma infância incrível!

***

1 – Tenho fotos criança, mas não aqui, por isso não coloquei.
2 – Vem mais post do dia das crianças por aí.
3 – Hoje tem show do Skank, vou fazer um post sobre ele também.

Pedrinho.